10 perguntas e respostas sobre a artroplastia total de joelho

A artroplastia total de joelho é um procedimento cirúrgico que tem se tornado cada vez mais comum na medicina ortopédica. A cirurgia, que consiste na colocação de uma prótese na articulação tem como objetivo corrigir qualquer grau de destruição articular, deformação ou perda da mobilidade do joelho.

Embora seja um procedimento que tem ganhado pacientes eleitos de todas as idades, principalmente os idosos e os esportistas, a artroplastia de joelho ainda causa muitas dúvidas. Por isso, separamos as 10 perguntas mais realizadas em consultório sobre a cirurgia. Confira abaixo.

Em quais casos a artroplastia total de joelho é indicada?

A artroplastia total de joelho é indicada para pacientes que possuem um estágio muito avançado de artrose na articulação e que não obtiveram melhora com o tratamento conservador. 

Ou seja, os principais pacientes eleitos ao procedimento são aqueles que apresentam dor, deformidade e inchaço na articulação. Quando esses três sintomas estão presentes ao ponto de impossibilitar o paciente de realizar suas atividades rotineiras, é quando a artroplastia é indicada. 

 Um ponto importante a ser considerado para que o médico ortopedista recomende a prótese de joelho é o grau da dor. Quando o desconforto se apresenta moderado ou grave, de forma crônica, progressiva e que resiste a todos os métodos conservadores de tratamento, é então que a cirurgia começa a ser cogitada.

Com quantos anos posso realizar a cirurgia?

Tem-se como consenso médico que a  idade ideal para a colocação de uma prótese de joelho é de 60 anos para mulheres e 70 para homens. No entanto, a idade não deve ser utilizada como o principal fator para a realização ou não da cirurgia de artroplastia de joelho. 

Caso o paciente esteja em um grau de artrose muito elevado e tenha doenças reumáticas como artrite reumatóide, ele poderá sim ser submetido à cirurgia antes da idade recomendada. Até os pacientes mais jovens, principalmente os que sofreram traumas articulares no passado podem se beneficiar muito com a artroplastia total de joelho.

Como é realizada a artroplastia total de joelho?

A artroplastia total de joelho é realizada substituindo a parte afetada da articulação por uma prótese. O implante de joelho é composto por três peças: uma que se encaixa a tíbia, outra ao fêmur e uma espécie de placa de polipropileno que serve como um amortecedor entre as duas partes. 

Os materiais utilizados são metal e polietileno que são moldados de acordo com a articulação do paciente, trazendo conforto e segurança no andar logo nos primeiros dias após a cirurgia. 


A prótese de joelho tem validade?

Na década de 70, as próteses de joelho duravam cerca de 10 anos, mas atualmente graças aos avanços da medicina a durabilidade média costuma ser de 15 a 20 anos. 

Muitos fatores podem influenciar na validade deste implante, como a qualidade da prótese, o peso do paciente e sua rotina. Mas hoje, principalmente com o material e a técnica mais avançados, é fácil vermos pacientes que passam mais de 20 anos sem precisar mexer no implante. 

A prótese pode dar rejeição?

A rejeição da prótese de joelho é um receio que muitos pacientes têm por conta de outros tipos de procedimentos cirúrgicos em que corre-se o risco de o organismo não aceitar o implante. Mas esse não é o caso da prótese de joelho, já que ela é uma peça de forma totalmente personalizada e com materiais que se adaptam perfeitamente à articulação. 

Na verdade, o que o senso comum se refere quando fala em “rejeição” da prótese, é em relação ao quadro infecciosos que pode ocorrer logo após a cirurgia ou de forma tardia. No entanto, isso é uma situação muito rara de ocorrer na artroplastia de joelho, sendo que menos de 2% dos casos apresentam esse problema. 

Quais os riscos da artroplastia total de joelho?

Assim como em outros tipos de procedimentos cirúrgicos, a infecção é um dos riscos que se corre ao realizar a artroplastia total de joelho. Mas como falado na pergunta anterior, os quadros infecciosos decorrentes do procedimentos possuem índices próximos de zero. 

Outros tipos de riscos relacionados a artroplastia de joelho são: soltura da prótese, que pode ou não estar ligada à infecção, dor pós-operatória, complicações de ferida ou complicações vasculares como a trombose venosa profunda. No entanto, todos esses riscos podem ser minimizados levando em consideração fatores como a indicação correta para a cirurgia, a qualidade da prótese, a experiência da equipe e uma boa recuperação.

Quem passou por uma artroplastia total de joelho pode praticar esportes?

Atualmente, o pensamento de que a prótese de joelho pode se soltar durante a prática de exercícios físicos não passa de um mito. Cada vez mais a medicina esportiva tem se dedicado a estudar o tema e visto que os casos de soltura tem sido muito abaixo do esperado. 

Por isso, pacientes que passaram por artroplastia total de joelho podem sim realizar esportes, desde que sejam de baixo impacto. As atividades mais recomendadas são  ciclismo, trekking, tênis de dupla, natação, musculação e caminhada.

Em quanto tempo após a cirurgia posso voltar à rotina?

A artroplastia de joelho é uma cirurgia que costuma ter fácil recuperação. No dia posterior ao procedimento o paciente já consegue caminhar com a ajuda de muletas e inicia a fisioterapia. Por conta disso, estima-se que, em média, dentro de seis meses, o paciente já poderá voltado totalmente a sua rotina e sem dores.

O tempo total de reabilitação dependerá dos resultados obtidos com os exercícios, porém, de modo geral, após um mês da cirurgia os pacientes já conseguem andar sem o auxílio de muletas, bengalas ou andadores, o que pode facilitar que a atividades rotineiras sejam retomadas a partir desse período.

Quais os cuidados pós-operatórios que devo ter? 

Um dos principais cuidados após a artroplastia total de joelho é em relação a fisioterapia iniciada ainda no hospital que deverá continuar sendo realizada até a completa recuperação. Mas alguns cuidados principalmente nas primeiras semanas são após o procedimento são importantes para o sucesso da recuperação como: 

– Manter a perna operada elevada;

– Não colocar almofadas embaixo do joelho operado;

– Vigiar o peso e alertar para a sua implicação na preservação da artroplastia;

– Evitar carregar pesos;

– Não usar saltos altos;

– Evitar atividades de risco de quedas.

Quais os benefícios da artroplastia de joelho?

Certamente, o principal benefício para os pacientes que realizam a artroplastia total de joelho é em relação à qualidade de vida. Ao final do período pós-operatório, as dores e a limitações de movimento cessam completamente, dando maior autonomia ao paciente – principalmente aos idosos – para realizar atividades que antes não eram possíveis.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Siga no Instagram

Curta no Facebook

Médico graduado pela Universidade de Blumenau, com Especialidade em Ortopedia e Traumatologia, Dr. Evandro é Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Joelho (SBCJ) e da Internacional Sociaty of Arthroscopy, Knee Surgery and Orthopaedic Sports Medicine (ISAKOS).